Leituras Recomendadas - CBBP

Espaço destinado a divulgação de textos e outros materiais, em meio digital

Todos Temas

arrow&v

TCC

Práticas abolicionistas em bibliotecas prisionais ou sugestão de critérios avaliativos para bibliotecas prisionais ou Sugestão de critérios avaliativos para Bibliotecas Prisionais

Nathany Brito Rodrigues

Esta monografia propõe um instrumento de desenvolvimento e avaliação de bibliote-ca prisional a partir de práticas abolicionistas. Para tanto apresenta conceitos, dis-cussões e atribuições anticistêmicas na contextualização da biblioteca no ambiente carcerário, considerando: a racialização da democracia da informação, as condições atuais da população carcerária brasileira e das penitenciárias e a criação e possibili-dades da biblioteca prisional. Identifica a existência de um documento que propõe diretrizes para bibliotecas prisionais e o expande a partir de uma perspectiva abolici-onista. Por fim analisa as orientações identificadas, cria elementos e critérios de ava-liação considerando objetivos abolicionistas e propõe outro instrumento. Esse traba-lho conclui que a abolição penal é a solução ao problema carcerário brasileiro e a biblioteca prisional precisa se alinhar com ela através do combate ao epistemicídio.

Prisionais

TCC

A biblioteconomia como incentivo a educação e ressocialização da população carcerária: uma nova vertente do profissional bibliotecário

Lisnéa de Oliveira Gomes

A biblioteconomia como fonte disseminadora da informação, e orientadora educacional no trabalho de reeducação e ressocialização da comunidade intramuros, visa contribuir para uma participação mais ativa das práticas sociais biblioteconômicas aos usuários de bibliotecas prisionais. O presente estudo têm como objetivo geral, a perspectiva de poder ampliar a atuação do profissional bibliotecário ao contexto social, com fins de minimizar a sensação de isolamento, e o a ociosidade dessa comunidade tão excluída do acesso a informação, e cerceada na sua liberdade e, em seus direitos como cidadão. Reconhecer o que as leis asseguram a todos sem quaisquer distinções de classe, raça, origem, religião, dentre outros, o acesso as oportunidades de ensino e a qualificação profissional. Demonstrar aos profissionais da informação que existem vários campos diferenciados de atuação, e os quais requer capacitação especializada de acordo com o ambiente e o tipo especifico de usuários. Como metodologia adotou-se características descritivas com observações e coleta de dados através de questionários, com perguntas semiestruturadas aos sujeitos objetos em questão. Anteriormente foram realizados levantamentos das literaturas na área de biblioteconomia e correlatas. A sociedade e os governos devem repensar os modelos de aprisionamento existentes, pois, somente têm contribuído para o descontrole populacional do sistema prisional sucateado, e que não funciona como processo de ressocializar, porém, apenas de punição, isolamento do convívio social. Deveria haver mais investimento na prevenção, em políticas socioeducativas, oportunizar o indivíduo ao mercado de trabalho, através da qualificação, educação, melhorias salariais, dentre outros. As bibliotecas integradas a atuação do bibliotecário desempenhando papeis, como as já utilizadas práticas de leituras no cárcere têm sido de grande valia, principalmente no combate a baixa autoestima, pois, de acordo com relatos dos profissionais da educação prejudicam no aprendizado e desempenho das presidiarias em quaisquer situações que estejam envolvidas.

Prisionais

TCC

Condições de funcionamento das bibliotecas das penitenciárias da grande Florianópolis

Eliciane Dutra

A pesquisa objetiva investigar as condições de funcionamento das bibliotecas das duas principais unidades prisionais da Grande Florianópolis a Penitenciária de Florianópolis e o Complexo Penitenciário do Estado (COPE) - São Pedro de Alcântara. Constitui uma pesquisa do tipo qualitativa, realizada a partir da aplicação de questionário e através da técnica de observação. Traz conceitos acerca da segurança pública em Santa Catarina, cidadania, direitos humanos e fundamentais, a biblioteca como promotora de cidadania e sobre bibliotecas em penitenciárias e a condição do recluso. Conclui traçando considerações acerca da constatação da ausência dos serviços bibliotecários nas duas Penitenciárias investigadas.

Prisionais

TCC

Competências e habilidades do bibliotecário no contexto prisional:percepções no curso de Bacharelado em Biblioteconomia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Claudia Miranda de Araujo

O objetivo deste estudo consiste em compreender as competências e habilidades do bibliotecário prisional, na estrutura do curso de Biblioteconomia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, a partir do ementário dos componentes curriculares. Identifica os entendimentos históricos penais, objetivos e análises sobre a biblioteca no espaço prisional, e a situação atual nos presídios brasileiros. Indaga a questão da ética bibliotecária, considerando a prática da leitura necessária, propondo viabilizar o acesso a informação dos usuários-detentos. A construção desse trabalho compreende o pouco aporte bibliográfico como reflexo da escassa discussão no meio acadêmico.

Prisionais

TCC

Biblioteca prisional e biblioterapia como instrumento de ressocialização

Nádia da Silva Alexandre

Analisa a biblioteca e a biblioterapia no espaço prisional, produzindo uma relação de proximidade entre os dois temas. Evidencia a importância do profissional da informação enquanto mediador da informação e auxiliar na prática da biblioterapia no sistema prisional. Deste modo, o profissional contribui para a recuperação e ressocialização do apenado, apresentando o uso da leitura como meio de abstração, minimizando assim a sensação de confinamento. Destaca a evolução do sistema penitenciário mundial ao longo dos séculos e o aparelho prisional brasileiro no contexto atual. Como pesquisa documentária, o trabalho se caracterizou pela revisão de literatura sobre os temas de Biblioteca Prisional, Escola Prisional, Biblioterapia e Leitura Terapêutica. A coleta de dados ocorreu por meio de buscas na base de dados da Biblioteca da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária e no site da mesma. Os resultados obtidos confirmam, mesmo de maneira tímida, a eficácia da biblioterapia e da biblioteca no sistema prisional, pois ambas permitem ao indivíduo privado de liberdade buscar novos caminhos longe do mundo do crime. Procura-se fazer uma reflexão sobre o papel social do bibliotecário no meio prisional e de que forma os profissionais podem contribuir para evitar o regresso dos detentos ao mundo do crime. Conclui-se que, além de incentivar debates e pesquisas pertinentes que forneçam subsídios ao tema, no que compete à reeducação e reinserção dos detentos à sociedade, a biblioterapia e as bibliotecas nos espaços prisionais são recursos importantes no processo de reabilitação, podendo contribuir para a diminuição da reincidência criminal.

Prisionais

TCC

Desenvolvimento de coleção em duas bibliotecas prisionais do Estado de São Paulo

Luciane Santesso;
Sâmea Maria Carlos

Analisa o acesso à informação em bibliotecas prisionais, especificamente em duas unidades prisionais femininas do Estado de São Paulo, por meio de uma abordagem qualitativa a qual utilizou como instrumento para a coleta de dados a pesquisa de campo, por meio da aplicação de questionário semi-estruturado às responsáveis pelas bibliotecas e consulta dos catálogos e listas dos livros mais procurados. O objetivo foi analisar o desenvolvimento de coleção nessas bibliotecas prisionais femininas, verificando se há a preocupação com a formação e disponibilização de publicações direcionadas às reflexões sobre direitos humanos e cidadania. A pesquisa de campo demonstrou que essas bibliotecas prisionais permanecem abertas, disseminando informação para as internas, mesmo que de forma precária. O problema levantado na pesquisa – se há desenvolvimento de coleção voltado para direitos humanos e cidadania de mulheres reclusas nessas bibliotecas – obteve resposta afirmativa para a unidade B, já na biblioteca da unidade A, a temática não foi encontrada. O tema direitos humanos estava presente na relação de livros mais procurados na unidade B e no catálogo, mas como todos os materiais entram na forma de doações, não se pode afirmar que haja uma preocupação em disponibilizar as temáticas de direitos humanos nessa biblioteca.

Prisionais

Artigos Brasileiros

"Desenvolvendo a competência informacional: a experiência do curso de Biblioteconomia da UFPA com egressos do sistema penal e familiares atendidos pela Fábrica Esperança"

Rubens da Silva Ferreira;
Maria Raimunda;
Maria Correa de Nazaré dos Santos; Armando Onofre da Silva Costa

O presente trabalho faz um registro da experiência extensionista, no contexto da Faculdade de Biblioteconomia do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Federal do Pará. Trata-se do projeto "Construindo a competência informacional através de estratégias de fortalecimento do uso educativo das Tecnologias de Informação e Comunicação", que, entre os meses de agosto e dezembro de 2011, concentrou as ações entre os egressos do sistema penal e familiares atendidos pela Fábrica Esperança. Partindo da pesquisa-ação, os sujeitos em foco foram envolvidos em atividades orientadas para o desenvolvimento das competências informacionais, em uma carga horária total de 160h. Entre docentes, discentes e pessoal técnico, a experiência permitiu refletir sobre o conceito de competência informacional, o qual se coloca como fundamental para se pensar a inclusão e a cidadania na sociedade da informação.

Prisionais

Artigos Brasileiros

Biblioteca prisional e reinserção social: o olhar das internas do Instituto Penal Feminino Auri Moura Costa

Francisca Liliana Martins de Sousa;
Virginia Bentes Pinto

Discorre sobre a atuação da biblioteca prisional do Instituto Penal Feminino Desembargadora Auri Moura Costa (IPF), considerando a possibilidade de que a biblioteca contribua para a reinserção social do indivíduo encarcerado. O objetivo da pesquisa é verificar como a biblioteca prisional do IPF atua em prol da reinserção social das internas. Trata-se de uma pesquisa exploratória, pautada em um levantamento bibliográfico da temática abordada, e de cunho qualitativo, adotando-se a metodologia da sociopoética para o estudo empírico e análise dos dados. Os resultados apontam que a atuação da biblioteca no IPF efetiva-se por meio do projeto de leitura ‘Livro Aberto’. Os discursos verbais e não verbais das detentas evidenciam a sua condição de privação da liberdade e o desejo de retorno à sociedade. Também ficou evidente a insatisfação por não terem acesso ao espaço da biblioteca bem como o desejo da presença de um profissional especializado. Concluímos que a atuação da biblioteca é deficitária e apresenta lacunas, principalmente na formação de leitores. Apesar das dificuldades enfrentadas, a biblioteca é percebida pelas internas, de maneira geral, como um instrumento que favorece a reinserção social.

Prisionais

Artigos Brasileiros

Biblioteca prisional e a leitura nos espaços de privação de liberdade

Amabile Costa;
Camila Monteiro de Barros

O trabalho enfatiza o papel das bibliotecas prisionais na mediação da leitura e da informação. Essas bibliotecas são unidades que disponibilizam às pessoas privadas de liberdade o acesso à informação e, consequentemente, dão suporte ao desenvolvimento humano e à geração de conhecimentos que podem proporcionar a conscientização tanto dos reeducandos quanto da comunidade carcerária como um todo a respeito de aspectos sociais, religiosos, pessoais, culturais, literários, entre outros. Evidencia, também, a atuação dos bibliotecários no âmbito dos espaços de privação de liberdade, apresentando os papéis das bibliotecas prisionais, bem como sua competência. Conclui que a democratização do acesso à informação nos espaços de privação de liberdade é tema relevante e papel inerente às bibliotecas prisionais. Também aponta que as diretrizes a serem seguidas por esse tipo de biblioteca, como serviços e desenvolvimento de coleções, são diferentes daquelas seguidas por outras unidades e informação, dadas as características do contexto em que atua.

Prisionais