Leituras Recomendadas GT-RERAD

Espaço destinado a divulgação de textos e outros materiais, em meio digital

Todos Temas

arrow&v

Biblioteconomia Negra

O ensino de Biblioteconomia e as relações étnico-raciais.

GOMES, Elisangela.

Étnico

Biblioteconomia Negra

Mulheres negras na Biblioteconomia.

SILVA, Franciéle Carneiro Garcês da. (Org.)

Étnico

Biblioteconomia Negra

A formação política do/a bibliotecário/a no campo das relações raciais.

VALÉRIO, Erinaldo Dias.

Étnico

Biblioteconomia Negra

Produção de conhecimento e circulação da informação na formulação de políticas públicas: o Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra (CDCN) do Estado da Bahia

VALÉRIO, Erinaldo Dias.

Étnico

Biblioteconomia Negra

Reflexões sobre movimentos sociais e informação: a experiência do Grupo de Valorização Negra do Cariri – GRUNEC.

VALÉRIO, Erinaldo Dias.

Afirma que na sociedade contemporânea, a crescente produção de conhecimentos científicos modifica o comportamento dos indivíduos no que tange ao acesso, uso e apropriação de informação. É por meio da informação que os sujeitos sociais adquirem conhecimento sobre seus direitos e deveres na sociedade, possibilitando-lhes melhores formas para a tomada de decisões individual ou em grupo. Pensando nesta perspectiva, estudar os movimentos sociais, como grupos que buscam por ideais comuns e que trabalham com a relação de informação para obtenção de conhecimento, é fundamental para entender esse contexto. Os movimentos sociais são ações sociais coletivas que se organizam para expressarem seus anseios, questões e demandas. Eles adotam diferentes formas de atuação e configuram-se em diversos aspectos, religiosos, feministas, raciais, indígenas, assim por diante. A partir dessas premissas, o presente estudo tem como objetivo geral analisar em que contexto ocorre à apropriação, geração e disseminação de informação que se desenvolve dentro do Grupo de Valorização Negra do Cariri - GRUNEC, e como objetivos específicos: interrogar de que maneira esse grupo se organiza; identificar quem são os atores, como atuam e o que demandam mapeando as ações desenvolvidas. Realiza pesquisa exploratória por meio de um levantamento bibliográfico e de campo. Para análise dos dados, utilizou-se a técnica de análise de conteúdo. Assim, esta pesquisa se insere em uma perspectiva em que discute pressupostos teóricos e investigativos da afrodescendência, correlacionando-a com a Ciência da Informação (CI), em seu aspecto interdisciplinar. Conclui-se que o movimento negro em questão, faz uso da informação etnicorracial da temática negra, para diminuir as disparidades sociais existentes entre negros e não negros. Informa que o GRUNEC comunica a informação por diferentes processos e que a sociedade se apropria desses conhecimentos disseminados, a fim de se posicionarem politicamente no combate ao racismo e na luta por ações sociais afirmativas.

Étnico

Biblioteconomia Negra

Pluralidade cultural e identidades: breves reflexões.

SILVA, Marcio Ferreira da.

Étnico

Biblioteconomia Negra

A Representação do Negro nos Sistemas de Organização do Conhecimento no Brasil.

SILVA, Marcio Ferreira da;
ALMEIDA, Carlos Cândido de.

As narrativas e, precisamente, as representações sobre os grupos sociais estão distantes da realidade da cultura local. O discurso e as escolhas que representavam a memória e suas histórias tiveram como ponto de partida uma visão deslocada acerca dos conteúdos que refletiam, sobretudo, nos aspectos identitários desses grupos no que chamamos de uma representação “sobre”. A presente pesquisa problematiza sobre como estão representados o negro e os assuntos correlatos à comunidade negra nos sistemas de organização do conhecimento ensinados nos cursos de Biblioteconomia no Brasil. Sendo assim, acreditamos que os instrumentos de organização do conhecimento utilizados com frequência em bibliotecas no Brasil ainda não representam adequadamente a figura do negro e suas especificidades culturais. Ademais, tais sistemas não promovem o conhecimento da estrutura conceitual própria da cultura negra, suas especificidades e seu papel na História do Brasil. Desse modo, esta pesquisa visa a analisar a representação do negro nos sistemas de organização do conhecimento utilizados no Brasil. Palavras-chave Organização Conhecimento. Representação do Negro. Sistemas de Classificação. Identidade Afro-brasileira.

Étnico

Biblioteconomia Negra

A questão da representação das religiões de matriz africana na CDD: uma análise crítica da umbanda.

SILVA, Marcio Ferreira da.

As narrativas e, precisamente, as representações sobre os grupos sociais distanciaram-se da realidade da cultura local. O discurso e as escolhas que representavam a memória e suas histórias tiveram como ponto de partida uma visão distante de conteúdos que refletiam, sobretudo, os aspectos identitários desses grupos. Denominamos esse tipo de interpretação de representação “sobre”. A presente pesquisa problematizou o modo como estão representados o negro e os assuntos correlatos à comunidade negra nos sistemas de organização do conhecimento ensinados nos cursos de Biblioteconomia no Brasil. Nessa acepção, enquanto ponto de partida, ergueu-se a proposta de hipótese de que representar o conhecimento de comunidades ou grupos tradicionais em favor do acesso ao conhecimento, deve pautar-se por uma leitura plural da realidade, o que nem sempre foi o caso para a situação do negro no Brasil. Nesse sentido, buscou em seu objetivo geral compreender a estrutura de representação das temáticas associadas aos negros nos sistemas de organização do conhecimento utilizados no Brasil. Especificamente, a Classificação Decimal de Dewey com ênfase à análise da religião Umbanda. Os sistemas ensinados nas escolas de Biblioteconomia no Brasil não se sustentam suficientemente para cobrir os aspectos culturais e, singularmente, as religiões de matriz africana na Classificação Decimal de Dewey. Nas representações sociais, a Umbanda é vista como “religião de feitiço”, catimbó”. A repetição desses termos tem imputado aos indivíduos atributos incompatíveis com suas práticas. Essas representações adquirem valor simbólico nessas expressões e estrategicamente forjadas. As comunidades discursivas dos povos tradicionais demonstram quão complexo e distante tem sido as representações sobre as religiões dos afrodescendentes, o quanto são afetados socialmente por subrepresentações e omissões que afetam suas identidades. Os temas presentes nas categorias da CDD, além de não representar adequadamente os temas relativos às religiões afrodescendentes, tem desempenho satisfatório para ocultar esses grupos e toda sua diversidade. Consideramos, que os sistemas são inadequados quando se voltam para questões específicas de uma realidade complexa como a brasileira. A postura exigida, ao longo das discussões, exige aproximações mais incisivas com as representações sociais referentes aos povos afrodescendentes no Brasil. Palavras-Chave: Organização Conhecimento. Representação do Negro. Sistemas de Classificação. Identidade Afro-brasileira.

Étnico

Biblioteconomia Negra

Bamidelê: por uma sociologia da informação étnico-racial na organização das mulheres negras da Paraíba.

SILVA, Leyde Klébia Rodrigues da.

A Ciência da Informação (CI) é uma área do conhecimento que, por essência, realiza investigações sobre o funcionamento dos processos de apropriação, organização, disseminação, acesso, uso e democratização da informação para todas as áreas, setores e pessoas da sociedade. Este trabalho, por sua vez, analisa como ocorrem os processos de apropriação, disseminação, democratização e preservação da informação étnico-racial na organização de mulheres negras da Paraíba (BAMIDELÊ), objetivando, especificamente, traçar o perfil das mulheres que compõe a Bamidelê; compreender como essa instituição se apropria da informação étnico-racial; descrever os processos de disseminação da informação étnico-racial utilizados pela Organização de Mulheres Negras da Paraíba; verificar como a informação étnico-racial é disseminada e democratizada para as mulheres negras; e, identificar as ações adotadas pela Bamidelê para a preservação da memória cultural da população negra. Para isso, o percurso metodológico fundamentou-se na abordagem qualitativa de pesquisa, de caráter descritivoexploratório. O universo da pesquisa foi a BAMIDELÊ, e os sujeitos foram as mulheres negras que compunham sua coordenação, além de um grupo de mulheres que são usuárias (participam ou participaram de alguma atividade desenvolvida pela entidade) que também, seguem o perfil da ONG no Facebook. Os instrumentos para coleta dos dados foi constituída por entrevistas semiestruturadas e a técnica para analisá-las se deu por meio do Discurso do Sujeito Coletivo (DSC). Os resultados mostraram que a apropriação, disseminação, democratização e preservação da informação étnico-racial pela Bamidelê busca atingir vários setores e públicos distintos da sociedade, que vão desde as fontes de informação mais tradicionais até as mais contemporâneas. As considerações finais do estudo revelam que o trabalho iniciado pela Bamidelê mudou significativamente o cenário paraibano, principalmente na luta contra o racismo e o sexismo. Nesse sentido, a CI desempenha um papel importante na disseminação, democratização e preservação da informação étnico-racial e precisa abrir seu escopo teórico-prático, pois, o mesmo possibilitará o surgimento de novos espaços interdisciplinares

Étnico