Leituras Recomendadas GT-BDEG

Espaço destinado a divulgação de textos e outros materiais, em meio digital

Todos Temas

arrow&v

Competência e Comportamento

Competência em informação no âmbito da comunidade LGBTQ: um levantamento das publicações científicas nacionais e internacionais

OTTONICAR, Selma Letícia Capinzaiki

A comunidade LGBTQ tem enfrentado dificuldades na sociedade contemporânea devido ao preconceito de alguns indivíduos. Atualmente, as leis de diversos países, bem como as políticas públicas têm sido direcionadas a esses grupos, para incluí-los em sociedade. O foco é garantir o direito aos seres humanos e o respeito às minorias, objetivando melhorar a qualidade de vida dessas pessoas. Perante tais reflexões, o problema de pesquisa buscou refletir as maneiras pelas quais a competência em informação pode contribuir para que a sociedade desenvolva o respeito à comunidade LGBT. Objetivos: O artigo objetiva demonstrar os modos pelos quais a literatura da Ciência da Informação tem tratado a temática, a fim de incluir a comunidade LGBT em suas pesquisas. Não obstante, objetiva-se demonstrar como a competência em informação pode contribuir para que a comunidade LGBTQ seja respeitada em sociedade. Metodologia: A metodologia envolve uma revisão sistemática da literatura na área da Ciência da Informação sobre a competência em informação e o movimento LGBT, a fim de identificar como o tema vem sendo tratado pela área. Resultados: Os temas são trabalhados de maneira tímida pela área, tanto em nível nacional quanto internacional. Além disso, desenvolveu-se um modelo de respeito ao LGBTQ por meio desta competência, a fim de ser aplicado em diversos contextos de modo a reduzir o preconceito com estas pessoas. Conclusões: Existe a necessidade de pesquisas aprofundados sobre a temática. O uso da informação eficaz contribui para a compreensão do contexto dos LGBTQ e o respeito ao seu modo de vida.

Diversidade

Políticas Públicas

Políticas públicas para população LGBT: proposição de uma ação de informação no Laboratório de Tecnologias Intelectuais – Lti

SANTOS, Raimundo Nonato Ribeiro dos;
FREIRE, Isa Maria

Esta comunicação faz parte de pesquisa com o objetivo de investigar a existência de políticas públicas voltadas para a população de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transgêneros (LGBT) no âmbito do Poder Executivo das unidades federativas que compõem o Brasil (26 estados mais o Distrito Federal), bem como identificar os órgãos responsáveis e, a partir dos resultados, propor uma ação de informação no âmbito do Laboratório de Tecnologias Intelectuais (LTi)

Diversidade

Diversidade Sexual

A temática diversidade sexual na Ciência da Informação: a perspectiva da responsabilidade social

SANTOS, Raimundo Nonato Ribeiro dos;
TARGINO, Maria das Graças;
FREIRE, Isa Maria

Apresenta resultados de pesquisa bibliográfica sobre a produção científica brasileira no campo da Ciência da Informação acerca da temática diversidade sexual. Consideram-se as reflexões epistemológicas acerca da responsabilidade social da Ciência da Informação. Empiricamente, é visível que a posição dos Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros possui pouca ou nenhuma representatividade na literatura da área da Ciência da Informação, em termos de Brasil. O levantamento bibliográfico foi realizado na Base de Dados Referencial de Artigos de Periódicos em Ciência da Informação, em agosto de 2016. O contexto teórico-conceitual relaciona a responsabilidade social da Ciência da Informação com a questão da diversidade sexual. Os resultados apontam que a Ciência da Informação brasileira ainda tem pouca produção acerca da temática da diversidade sexual e indivíduos LGBT, necessitando atuar mais nessa questão haja vista a diversidade ser também um elemento para a construção da responsabilidade social de um campo científico.

Diversidade

Identidade e Papéis de Gênero

A Biblioteconomia na representação fílmica de gênero

LIMA, Gláucio Barreto de

Analisa quatro filmes exibidos entre 2015 e 2016 na cidade de Fortaleza que aborda a forma como a Biblioteconomia é apresentada, seja através da imagem de bibliotecários, ou como o espaço da biblioteca é revelado pelas discussões de gênero no cinema. Problematiza o que a análise fílmica, como recurso metodológico, permite de representação da relação entre a Biblioteconomia e as questões de gênero. Considera que pesquisas na área da Biblioteconomia sobre gênero são imprescindíveis e que abrem possibilidades para debater o preconceito e a discriminação contra LGBTTT.

Diversidade

Competência e Comportamento

Aspectos éticos em representação do conhecimento em temáticas relativas à homossexualidade masculina: uma análise da precisão em linguagens de indexação brasileiras.

PINHO, Fábio Assis

Os estudos sobre a ética na Organização e Representação do Conhecimento, especialmente no Tratamento Temático da Informação, têm colaborado para sedimentar os referenciais teóricos e metodológicos da Ciência da Informação, que se justificam pelo pressuposto da inclusão social que, enquanto um metavalor, se situa entre o preconceito social e o proselitismo, formando um cenário onde três universos axiológicos convivem: o do documento ou informação, o do usuário e o do bibliotecário. Por isso, a indexação está ligada a uma dimensão ética porque deve preocupar-se com sua confiabilidade e utilidade em relação a determinadas comunidades discursivas ou domínios específicos. Nesse sentido, propõe-se, por meio de uma pesquisa exploratória e documental, com características qualitativas e indutivas, identificar a máxima especificidade terminológica que linguagens de indexação brasileiras permitem para termos relativos à homossexualidade masculina, analisando como corpusinvestigativo os termos atribuídos aos artigos científicos publicados na Journal of Homosexuality, Sexualities e Journal of Gay & Lesbian Mental Health, entre os anos de 2005 a 2009. Do cotejo e análise dos termos e das linguagens de indexação brasileiras verifica-se uma aproximação de significados no contexto brasileiro, imprecisão terminológica, com indícios de preconceitos disseminados através do ‘politicamente correto’, representação inadequada da temática e a presença de figuras de linguagem.

Diversidade

Diversidade Sexual

A produção científica acerca da temática LGBT: um estudo propedêutico nas teses e dissertações na UFMG

VIANA, Azilton Ferreira

A pesquisa foi realizada para analisar a produtividade científica no âmbito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em relação à temática de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais (LGBT). Valendo-se das dissertações e teses dos diferentes Programas de Pós-Graduação (PPG), pretendeu-se verificar se essa temática já foi apropriada pela academia na mesma proporção que a produção científica tem se desenvolvido ao longo dos últimos anos. Uma das justificativas para o desenvolvimento do presente estudo foi o entendimento de que não existem muitas pesquisas dessa natureza, que contemplem, ao mesmo tempo, informação e o segmento LGBT. O problema motivador da investigação originou-se no seguinte questionamento: A produtividade científica, no âmbito da UFMG, contribui para a afirmação da temática LGBT no meio acadêmico? No ensejo de alcançar o objetivo proposto, utilizou-se da pesquisa blibliométrica de abordagem exploratória, descritiva, bibliográfica e documental, com análise quantitativa e qualitativa dos dados coletados nos PPG da UFMG, por meio de buscas realizadas por palavras-chave com ligação direta com a temática na sua Biblioteca Digital de Teses e Dissertações (BDTD). O objetivo geral foi analisar a produção científica sobre a temática LGBT na literatura cinzenta, no âmbito da UFMG, nos PPG e suas contribuições para a afirmação do segmento. Os objetivos específicos consistiram em: mapear dissertações e teses sobre LGBT na BDTD/UFMG; identificar quais os programas que mais produzem sobre a temática; categorizar as áreas/subáreas de maior interesse na temática; identificar os principais assuntos pesquisados na temática; estudar a relação entre o que foi produzido pela UFMG sobre a temática LGBT e a afirmação do segmento. Os resultados alcançados indicam que, na UFMG, a temática está presente nos PPG, em cinco das nove grandes áreas do conhecimento, a saber: Ciências Humanas, Ciências da Saúde, Ciências Sociais Aplicadas, Interdisciplinar e Linguística, Letras e Artes, nas quais 11 PPG trataram da temática desde o ano 2000 de maneira contínua. Nesses mesmos PPG verificou-se que 31 pesquisadores de diferentes departamentos têm orientado teses e dissertações vinculadas à temática LGBT. Em relação às dissertações, houve um aumento de 146% do total produzido de 2000 a 2009 para o período de 2010 a 2016. Já em relação às teses esse aumento foi de 225% do total produzido de 2000 a 2009 para o produzido de 2010 a 2016. Foram recuperados 45 documentos, sendo 32 dissertações e 13 teses com conteúdos da temática LGBT. O outro dado refere-se ao fato de que cinco professores/pesquisadores de diferentes PPG são responsáveis por 43,48% de todos os trabalhos produzidos entre estas teses e dissertações. Os outros 26 professores juntos totalizam o percentual de 56,52%, e cada um com apenas um único estudo. Compreende-se que tanto o objetivo geral quanto os objetivos específicos foram respondidos positivamente. Em relação à pergunta de pesquisa, mediante os dados coletados e analisados pode-se afirmar que a produção científica da UFMG contribui para a afirmação do segmento LGBT na sociedade ao tratar dos seus principais temas.

Diversidade

Identidade e Papéis de Gênero

Práticas informacionais: LGBTQI+ e empoderamento no espaço LGBT

SILVA, Laelson Felipe da

As violações dos Direitos Humanos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais, queer e intersexo (LGBTQI+) se expressam, cotidianamente, em distintas formas e tipos de preconceitos, discriminações e violências, variando da violência psicológica, física, sexual, ameaças, até a morte. Um dos desafios no enfrentamento a tal cenário consiste na carência de dados oficiais no Brasil, no que diz respeito às violências e homicídios de LGBTQI+. Outra dificuldade encontrada localiza-se na construção sócio-histórica ancorada no sistema sexocorpo-gênero-desejo de caráter heteronormativo, que censura as transgressões da norma heterossexual. O que nos levou a questionar como em uma sociedade marcada pela heterormatividade se dá a relação entre as práticas informacionais e o processo de empoderamento de sujeitos transexuais? O objetivo geral deste trabalho consiste em analisar as práticas informacionais dos/as usuários/as do Centro Estadual de Referência dos Direitos de LGBTs e Enfrentamento à Homofobia na Paraíba (Espaço LGBT) e verificar as suas influências no processo de empoderamento. Utilizamos os aportes teóricos: relações de gênero, práticas informacionais, empoderamento e habitus. A pesquisa caracteriza-se como descritiva e correlacional. Tem cunho documental e de campo. Possui natureza quantitativa e qualitativa. Fez uso das fichas de atendimento das/os 544 usuários/as atendidos/as no Espaço LGBT no período entre 2015 a 2017. A estatística descritiva foi utilizada como instrumento de análise dos dados numéricos. No segundo momento, para compreender como se expressam as práticas informacionais e buscar os significados que sujeitos transexuais fornecem às suas vivências e às expressões de suas experiências identitárias aplicamos entrevistas semiestruturadas. A amostra compreendeu uma travesti, uma mulher transexual e quatro homens trans. Assim, utilizamos a abordagem qualitativa e por meio da análise de conteúdo obtivemos as seguintes as categorias e suas respectivas subcategorias: significados da vivência transexual (subcategorias: percepção de si, nomeação, família, escola, trabalho); práticas informacionais de transexuais na interação com o Espaço LGBT (subcategorias: fontes de informação, conhecimento do Espaço LGBT, serviços utilizados); práticas informacionais e empoderamento (subcategorias: ressignificação, ações emancipatórias, informação no processo de empoderamento, importância das práticas informacionais do Espaço LGBT). A análise dos resultados obtidos no estudo, tornou possível verificar a relação que o acesso a conteúdos informacionais produzidos e/ou disseminados pelo Espaço LGBT têm com o processo de empoderamento de sujeitos transexuais. Deste modo, o aparelho público em suas práticas informacionais contribuiu no processo de ressignificação de um habitus pautado na heteronormatividade, no qual expressões identitárias de gênero distintas das legitimadas pela norma heterossexual são concebidas como abjetas e marginalizadas. Assim, o acesso à informação possibilitou aos sujeitos empreender ações emancipatórias individuais e coletivas que consolidam a continuidade do processo de empoderamento. Por fim, reitera-se que a Ciência da Informação se configura como campo de conhecimento fundamental na subversão das desigualdades e na geração de conhecimentos contra-hegemônicos pautados no respeito às diferenças sexuais e de gêneros.

Diversidade

Políticas Públicas

Centros de referência LGBT, espaços de cultura, cidadania e informação: um estudo na cidade de São Paulo

SANTOS, Bruno Almeida

Esta pesquisa examina o papel dos Centros de Referência LGBT da cidade São Paulo, destacando suas atuações e funções na sociedade. Tem como objetivo principal conhecer em que medida os Centros de Referência LGBT cumprem suas funções na sociedade como espaços de informação, cidadania e cultura, bem como a satisfação de seus usuários. Desenvolveu-se este estudo a partir de uma revisão de literatura, compreendendo aspectos gerais acerca dos conceitos sobre informação, cidadania, cultura, centros de referência e Centros de Referência LGBT, bem como a inserção dessa comunidade de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais, entre outras identidades de gênero e sexualidade, na sociedade brasileira, onde são evidentes suas características machistas, sexistas e homofóbicas. Para dar cumprimento aos objetivos, optou-se como recurso metodológico pelo estudo descritivo e exploratório, com abordagem qualitativa e quantitativa em estudo de campo e de múltiplos casos. A amostra contou com todos os cincos Centros LGBT da cidade de São Paulo, onde foram feitas entrevistas com seus coordenadores, aplicados questionários com parte de seus usuários e feitas visitas guiadas pelo pesquisador. Os resultados apontam que os Centros de Referência LGBT da capital paulista são espaços de informação, cidadania e cultura eficientes e satisfatórios para a maioria dos usuários LGBT, pois os ajudam, através dos serviços, ações e atividades desenvolvidas, a resolver os problemas relacionados à identidade de gênero e à sexualidade e no exercício da cidadania.

Diversidade

Competência e Comportamento

Competência em informação de minorias sociais: pessoas trans da região de Florianópolis, Santa Catarina

RIGHETTO, Guilherme Goulart

Objetiva investigar a competência em informação de minorias sociais a partir das necessidades de informação das pessoas trans da região de Florianópolis, Santa Catarina. Para alcançar tal objetivo, caracterizou-se a competência em informação por meio da literatura da Ciência da Informação, bem como seus possíveis diálogos com a vulnerabilidade social e com a interdisciplinaridade, com aporte de áreas correlatas e das narrativas obtidas. Para representar as pessoas trans da região de Florianópolis, a amostra foi escolhida pelo vínculo com a Associação dos Direitos Humanos com Enfoque na Sexualidade (ADEH). A amostra do estudo foi selecionada aleatoriamente e a coleta de dados em campo foi realizada mediante entrevista narrativa. Trata-se de um estudo com abordagem qualitativa, exploratória e do tipo documental e bibliográfica. A coleta, o tratamento e a análise dos dados tiveram ênfase fenomenológica, pois viabiliza uma aproximação com a experiência do outro. Para a coleta dos dados, a técnica utilizada foi a entrevista narrativa, que permitiu o acesso à experiência da outra pessoa de modo indireto. Os dados foram analisados com base no método fenomenológico de Sanders (1982). A etapa de análise fenomenológica do conteúdo das narrativas desta metodologia inclui a descrição do fenômeno conforme exposto nas transcrições das entrevistas, a identificação de temáticas ou invariantes que surgem das descrições, os apontamentos subjetivos dos temas expostos e a consolidação dos temas em conjuntos de essências que constituem o arcabouço do fenômeno. Com base na literatura, infere-se que o desenvolvimento da competência em informação ocorre por meio de práticas empíricas que propiciem a condição real de cidadania aos vulneráveis/minorias, bem como o protagonismo social, o empoderamento, a liberdade e a emancipação para se construir uma sociedade mais justa e com o aprendizado constante e ao longo da vida. As narrativas das pessoas trans da região de Florianópolis revelam que o fenômeno estudado pode ser percebido sob os seguintes aspectos: informacionais, em contexto social (considerado determinante para se constituir as relações sociais dessas pessoas para com os outros, num cenário em que as necessidades de informação são constituídas pelo preconceito, estigma, discriminação, desconhecimento, estranhamento e a falta de apoio substancial, em meio familiar e principalmente, profissional e educacional; e em oposição, o acesso à informação se configura por meio da internet, das redes sociais de apoio, instituídas por redes sociais digitais, ONGs e pela própria comunidade); da vulnerabilidade social, em detrimento dos aspectos informacionais (desencadeando uma espiral de violência estrutural e risco, envolvendo a restrição ao mercado de trabalho, estigmas e demais subalternidades sociais); e da resiliência (construído pela autonomia informacional, pela busca por direitos humanos, igualdade e cidadania numa sociedade considerada intolerante quanto às diversidades identitárias e corpóreas). O Quadro de Avaliação IL (Information Literacy) (adaptado de UNESCO, 2013) foi utilizado com o objetivo de enfatizar o constante estado de vulnerabilidade social das pessoas trans em esfera social, institucional e individual. Os resultados deste estudo podem instigar a realização de outros estudos e para a amplitude das temáticas abordadas na Ciência da Informação, bem como para a competência em informação, além da efetivação da missão profissional do bibliotecário na contemporaneidade.

Diversidade